Declarar a conta Revolut no IRS

O conteúdo deste texto aplica-se exclusivamente a contribuintes residentes fiscais em Portugal!

Revolut Portugal - banner - 1 milhão de clientes - adere já e pede o teu cartão Revolut

Data da última actualização: 29/Maio/2023

Quando se aproxima o período de entrega da declaração de IRS, surgem questões sobre se os contribuintes portugueses têm ou não a obrigatoriedade de declarar a sua conta Revolut no IRS.

Em 2020, a Autoridade Tributária e Aduaneira até emitiu uma nota a esclarecer qual o procedimento a seguir no preenchimento do IRS referente aos impostos de 2019. Em 2021, a “coisa” ficou inalterada, mas em 2022 (IRS relativo a 2021) já mudou muita coisa!

E em 2023 (IRS relativo a 2022) ?

Amazon Affiliate

A partir de 2023, como a Revolut passou TODOS os clientes para o Revolut Bank em 2022, já será necessário informar o IBAN da conta no IRS (e apenas isso). Toma nota: o que declaras é apenas o teu número de conta, não tens que declarar o teu cartão Revolut, nem saldos ou movimentos. Só o IBAN da conta.

Afinal tenho ou não de declarar a conta Revolut no IRS?

SIM! ⚠️A partir do momento em que tens uma conta Revolut, é obrigatório informar o IBAN da mesma na declaração de IRS.⚠️

A grande maioria dos utilizadores Revolut em Portugal usam o Revolut como uma conta secundária para as suas viagens, as suas compras na internet ou mesmo como forma de pagamento das coisas do dia-a-dia. Apesar disso, todas as contas Revolut são desde 2022, contas bancárias e não “contas de pagamento”.

⚠️PORTANTO: com a alteração comunicada pela Revolut (email enviado por eles em 28/Abril/2022), todos os clientes foram “migrados” para o Revolut Bank em Julho/2022, e por isso, a partir de 2023, todos os clientes vão ter que informar o IBAN da conta no IRS, seja qual for o uso que dê à conta, e mesmo que tenha a conta parada (e segundo a nossa interpretação, que vale o que vale, nem que a conta tenha estado aberta apenas 1 dia – corrijam-nos se tivermos errados!).⚠️

Trata-se da obrigação constante do nº 8 do artigo 63º-A da Lei Geral Tributária que determina que

“Os sujeitos passivos do IRS são obrigados a mencionar na correspondente declaração de rendimentos a existência e a identificação de contas de depósitos ou de títulos abertas em instituição financeira não residente em território português ou em sucursal localizada fora do território português de instituição financeira residente, de que sejam titulares, beneficiários ou que estejam autorizados a movimentar.”

De facto, até já tinhas que declarar a conta se fizeres investimentos ou receberes mais-valias ou dividendos, pois esses é obrigatório comunicá-los na declaração de rendimentos (seja qual for a conta usada). De resto, tal como a própria AT informa, indicar o IBAN “consiste na mera identificação das contas, não tendo qualquer impacto na liquidação do imposto.”

Se quiseres ajuda para calcular as mais-valias de forma rápida, consulta a página de Parcerias, pois existem soluções para automatizar o cálculo, e podes ainda beneficiar de descontos exclusivos para a comunidade “Revolut Portugal”!🤑

⚠️Nota importante sobre rendimentos com Criptomoedas:

Estavam excluídos os ganhos realizados com investimento em criptomoedas (bitcoin, etc. e com as devidas excepções), pois o Estado Português não tributava esse tipo de rendimentos, conforme podes verificar neste artigo e nesta notícia de 05-Maio-2022. Com o Orçamento de Estado de 2023, isto mudou, portanto, se é o teu caso, informa-te bem.

Indicar no IRS o IBAN de contas internacionais em bancos digitais é uma mera formalidade. No entanto é uma burocracia obrigatória por lei, sem impacto no cálculo do imposto a pagar ou a receber nem no prazo de reembolso/processamento. Assim, se tem conta aberta em entidades que se enquadrem nesta actividade, terá de a mencionar no Anexo J da Declaração Modelo 3 do IRS.

1. Preenchimento do IBAN da Revolut no Anexo J da Declaração de IRS

Para declarar o IBAN da conta Revolut verás que é muito fácil.

Deves usar na mesma o “IRS Automático” e primeiro, fazeres todas as simulações que entenderes, para determinares a “melhor declaração de IRS” para o teu caso. Nada que os “experts” desta matéria já não recomendem.

Depois, no final deste processo, é que vais acrescentar o anexo J para incluir o IBAN da conta Revolut e submetes a declaração. Como já dissemos, este passo não altera em nada a declaração em termos de valores ou prazos de processamento.

Depois de estares satisfeito com a tua declaração de IRS, antes de submeter, basta editar a declaração de IRS, e deverás preencher o Quadro 11 do anexo J e apenas tens de informar o IBAN e o código BIC. Ficas aqui com uma imagem ilustrativa:

2. Como saber qual é o IBAN da tua conta Revolut?

Na tua aplicação Revolut, ao lado do valor do teu saldo, tens lá uma “bandeira” da União Europeia. Toca lá e verás os teus dados.

Outra forma de ver o IBAN: no ecrã principal da app, em cima à esquerda, aparece a tua foto ou o símbolo de uma câmara ou as tuas iniciais. Clica aí e depois, clicas em “Dados da conta” e depois clica na conta Euro.

Nota Importante: os conteúdos desta página são apenas informativos. Deverás sempre consultar profissionais na área e ainda todas as informações legais em vigor antes de entregar a tua declaração de IRS!

Se tiveres curiosidade, podes encontrar a notícia original que reporta a posição da AT – Autoridade Tributária em 2020 aqui, quando ainda não era obrigatório informar o IBAN.


E tu, já fazes parte do grupo Revolut Portugal (grupo)?

Assim, podes partilhar a tua experiência, tirar dúvidas, etc.

Portanto, convida e divulga pelos teus amigos, família e colegas! Diz-lhes como podem abrir conta e obter o cartão Revolut!

Em suma, vamos fazer a comunidade Revolut crescer em Portugal!